quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Vento

Vento
Por Júlio Bonrruquer Neto


você é sempre assim

como o vento

vem calminho

sopra

arrepia a gente da cabeça ao pés

e parte calminho como veio

deixando a lembrança

apenas nos pelos da gente

é assim que eu me sinto

quando você fala

calminha

e parte.


Marcadores: , ,

1 Comentários:

Às 13 de janeiro de 2012 14:20 , Anonymous Gabi disse...

Me fez sorrir ler isso...


"Amo tua voz e tua cor
E teu jeito de fazer amor
Revirando os olhos e o tapete
Suspirando em falsete
Coisas que eu nem sei contar...

Ser feliz é tudo que se quer
Ah! Esse maldito fecheclair
De repente
A gente rasga a roupa
E uma febre muito louca
Faz o corpo arrepiar...

Depois do terceiro
Ou quarto copo
Tudo que vier eu topo
Tudo que vier, vem bem
Quando bebo perco o juízo
Não me responsabilizo
Nem por mim
Nem por ninguém...

Não quero ficar na tua vida
Como uma paixão mal resolvida
Dessas que a gente tem ciúme
E se encharca de perfume
Faz que tenta se matar...

Vou ficar até o fim do dia
Decorando tua geografia
E essa aventura
Em carne e osso
Deixa marcas no pescoço
Faz a gente levitar...

Tens um não sei que
De paraíso
E o corpo mais preciso
Que o mais lindo dos mortais
Tens uma beleza infinita
E a boca mais bonita
Que a minha já tocou..."

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial