quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Maldição

Maldição
Por Júlio Bonrruquer Neto

Maldito rádio! Essas coisas tristes
desse triste cara destruindo corações.
Ainda lembro teu sorriso:
tão eterno e tão fatal.
No papel algumas linhas
que não são prosa ou poesia
São saudade e só!

Malditas linhas que escrevo!
Me fazem lembrar você.
Essa coisa de indecisão,
de não saber o que se quer.
Essa coisa que arde
É saudade e só!

Neguei teu corpo e a lembrança
Sujei teu nome, te fiz chorar.
E no final, as minhas noites
Eram fogo e desejo
Eram saudade e só!

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial